Noticias Vale do Itajai

Você Informado Sempre!

Saúde

Público visita centro que abriga o Sirius para atividades interativas no universo da ciência

Adultos e crianças participaram de 85 atividades interativas que incluíram práticas nos laboratórios, demonstrações tecnológicas, palestras e oficinas. Público visitou o CNPEM neste sábado
Gabriela Ferraz/EPTV
Um dos maiores centros de produção científica do Brasil, o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas (SP), abriu as portas neste sábado (17) para apresentar o Sirius, um dos aceleradores de partículas mais avançados do mundo, e outros superlaboratórios com trabalhos nas áreas de biociências, nanotecnologia e biorrenováveis.
O programado, chamado de “Ciência Aberta”, proporcionou a crianças e adultos um contato direto com os cientistas. As 85 atividades interativas incluíram práticas nos laboratórios, demonstrações tecnológicas, palestras e oficinas. O evento começou às 8h e segue até 17h.
CLIQUE AQUI E VEJA TODAS AS ATIVIDADES DO CIÊNCIA ABERTA 2023
O evento aconteceu em um dia marcado por tristeza no CNPEM. O pesquisador João Leandro Brito Neto, de 39 anos, morreu baleado na noite de sexta-feira (16) enquanto conduzia o motocicleta da montadora BMW. A instituição emitiu uma nota lamentando a perde do colaborador.
“É com grande pesar que anunciamos a inesperada perda de João Leandro Brito Neto, um colaborador extremamente querido no Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Esse falecimento é sentido não apenas por sua equipe de trabalho, nas linhas de luz do Sirius, mas por toda a nossa organização”, comunicou a instituição.
João Leandro era especialista no grupo Controle e Integração da Divisão de Engenharia de Linhas de Luz. O centro de pesquisa também destacou que João foi um voluntário entusiasmado em todas as edições do Ciência Aberta, evento programado justamente para este sábado.
“Enfrentar essa perda, especialmente em um dia como hoje, que o CNPEM se preparou para receber a visita de toda a sociedade, é um desafio imenso para todos nós […] É importante que, como comunidade, nos apoiemos mutuamente, compartilhando nossas memórias carinhosas e dedicando todo o trabalho de hoje ao João Leandro”, finaliza.
O que é o Sirius?
Principal projeto científico brasileiro, o Sirius é um laboratório de luz síncrotron de 4ª geração, que atua como uma espécie de “raio X superpotente” que analisa diversos tipos de materiais em escalas de átomos e moléculas.
Para observar as estruturas, os cientistas aceleram os elétrons quase na velocidade da luz, fazendo com que percorram o túnel de 500 metros de comprimento 600 mil vezes por segundo. Depois, os elétrons são desviados para uma das estações de pesquisa, ou linhas de luz, para os experimentos.
Esse desvio é realizado com a ajuda de ímãs superpotentes, e eles são responsáveis por gerar a luz síncrotron. Apesar de extremamente brilhante, ela é invisível a olho nu. Segundo os cientistas, o feixe é 30 vezes mais fino que o diâmetro de um fio de cabelo.
CNPEM abriu as portas ao público neste sábado
Gabriela Ferraz/EPTV
VÍDEOS: tudo sobre Campinas e região
Veja mais notícias da região no g1 Campinas.

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *